Com cheia do Rio Grande, ponte entre SP e MG corre o risco de ficar alagada e ceder, diz Defesa Civil

com-cheia-do-rio-grande,-ponte-entre-sp-e-mg-corre-o-risco-de-ficar-alagada-e-ceder,-diz-defesa-civil



Equipamento inaugurado há quase 70 anos fica na divisa entre Colômbia (SP) e Planura (MG). Órgão já havia alertado para aumento da vazão no início do mês. Ponte entre Colômbia, SP, e MG é monitorada devido a elevação do nível do Rio Grande
A coordenadora de planejamento da Defesa Civil de Colômbia (SP), Maria Inácia Macedo de Freitas, disse nesta quarta-feira (25) que a Ponte Gumercindo Penteado, que liga o município a Planura (MG), corre o risco de ficar alagada e de ceder por causa da cheia do Rio Grande.
O equipamento foi inaugurado há 69 anos e é uma alternativa para quem segue entre os dois estados. A via, localizada na BR-364, também é muito utilizada por motoristas que vão à região Norte do país.
“Estou fazendo o monitoramento duas vezes ao dia com a equipe responsável pela ponte, porque corre o risco de essa estrutura ceder e, automaticamente, causar um grande acidente”, afirma a coordenadora do órgão.
Caso a ponte seja interditada, os motoristas terão que percorrer uma distância maior, de aproximadamente 80 quilômetros, para cruzar os estados, afirma Maria Inácia.
O g1 aguarda um posicionamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit), responsável pelo trecho, em relação ao possível bloqueio.
Ponte Gumercindo Penteado, sobre o Rio Grande, entre Colômbia (SP) e Planura (MG)
Reprodução/EPTV
Explicações
Segundo a coordenadora da Defesa Civil, a interdição seria feita por segurança e acontecerá se o volume de água aumentar 1,3 metro. A alta está associada ao surgimento de material orgânico na bacia aquática.
“Com o crescimento de capim nessas varjões, essa quantidade de material orgânico se deslocou e desceu para o Rio Grande. Com a falta de saneamento nas áreas urbanas, veio o lixo. Consequentemente, isso tudo veio parar aqui na Ponte Gumercindo Penteado”, conta Maria Inácia.
Além do material orgânico, outro fator que explica a cheia, conforme a coordenadora, é a abertura das comportas da Hidrelétrica de Marimbondo, em Colômbia. Os equipamentos foram abertos em 13 de janeiro, quando o volume do reservatório atingiu 74,3%.
À época, a Defesa Civil alertou para o aumento da vazão no Rio Grande.
Ponte entre Colômbia (SP) e Planura (MG), sobre o Rio Grande
Reprodução/EPTV
Veja mais notícias do g1 Ribeirão Preto e Franca
VÍDEOS: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e região

pappa2200

0 comments on “Com cheia do Rio Grande, ponte entre SP e MG corre o risco de ficar alagada e ceder, diz Defesa Civil

Leave a Reply

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: