Comerciante é condenado a 30 anos de prisão por matar empresária e dois homens por vingança em São Carlos

    0
    75
    comerciante-e-condenado-a-30-anos-de-prisao-por-matar-empresaria-e-dois-homens-por-vinganca-em-sao-carlos


    Júri entendeu que acusado matou por motivo torpe, além de ter dificultado a defesa das vítimas. Defesa informou que vai recorrer da decisão. Zelma de Oliveira, João Batista de Oliveira e Reginaldo Lima foram vítimas de um comerciante que cometeu triplo homicídio por vingança em São Carlos
    Reprodução
    O comerciante Raimundo Notato Martins, de 55 anos, foi condenado a 30 anos de prisão em regime fechado por triplo homicídio qualificado, após 14 horas de julgamento, em São Carlos (SP), na quinta-feira (30).
    Compartilhe no WhatsApp
    Compartilhe no Telegram
    A sentença foi dada pelo juiz Antonio Benedito Morello, após os sete jurados decidir que o réu era culpado. O júri entendeu que o Martins matou por motivo torpe, além de ter dificultado a defesa das vítimas. O advogado de defesa, Roquelaine Batista dos Santos, informou que vai recorrer da decisão.
    Martins matou a empresária Zelma de Oliveira, de 73 anos, o ex-marido dela João Batista de Oliveira, de 77 e do motorista Reginaldo Lima, de 44 anos, em 28 de agosto de 2022.
    Homem que matou três pessoas por vingança em São Carlos é condenado a 30 anos de prisão
    Ele confessou o crime à polícia e disse que foi motivado por vingança porque a empresária entrou na Justiça para cobrar uma dívida que ele tinha de aluguéis atrasados e pedir a desocupação do imóvel onde funcionava o seu restaurante.
    As vítimas foram assassinadas com tiros na cabeça. Segundo a polícia, ele matou primeiro João Batista de Oliveira em uma casa no centro de São Carlos, em seguida ele seguiu para a casa de Zelma e, como ela não estava, a esperou chegar e a matou junto com o motorista que a acompanhava.
    LEIA MAIS:
    ‘Peço perdão’, diz comerciante que matou empresária e mais dois por vingança em São Carlos
    Comerciante confessa autoria de triplo homicídio em São Carlos; motivo foi vingança porque vítima cobrou uma dívida
    Casal de idosos e motorista são encontrados mortos a tiros em casas do centro de São Carlos
    O julgamento
    Comerciante Raimundo Notato Martins, de 55 anos, é julgado por triplo homicídio em São Carlos
    Reprodução EPTV
    O julgamento começou por volta das 9h30, após o réu chegar do presídio de Araraquara e terminou às 23h30.
    Doze testemunhas foram arroladas, cinco prestaram depoimento durante a manhã: um policial que atendeu a ocorrência, o filho e a nora de João Batista de Oliveira, um empresário que tinha negócios com Zelma e acompanhou as negociações entre a empresária e o comerciante, e uma funcionária de um salão que ela frequentava.
    No período da tarde, foram ouvidos o restante das testemunhas, o réu, o advogado de defesa e o procurador que faz a acusação.
    A defesa argumentou que Martins agiu sob violenta emoção e que ele tinha depressão.
    Martins assumiu os assassinatos e pediu perdão pelos crimes. “Peço perdão. Quem passa por isso sabe o que eu estou dizendo, não é fácil passar por esse momento assim, que é tipo até uma depressão que a gente tem”, disse.
    No depoimento, que durou mais de uma hora, ele alegou que a falência do restaurante que tinha há 20 anos fez com que perdesse um pouco o controle da vida e passasse a culpar as pessoas de coisas ruins que estavam acontecendo.
    “No período dessa semana [do crime] eu comecei tanto me culpar quanto a culpar as pessoas, a Zelma e o João”, afirmou.
    Ele ainda disse não ter nada contra o motorista, mas que acabou o acertando quando ele tentou desarmá-lo. “Acabei assustando e atirando”.
    Segundo o réu, a intenção era se matar após cometer os assassinatos, mas recebeu diversas ligações da esposa e resolveu voltar pra casa, quando assumiu o crime para a mulher e os filhos, que o incentivaram a se entregar.
    VÍDEOS: Reveja as reportagens dos telejornais da EPTV
    Veja mais notícias da região no g1 São Carlos e Araraquara

    Vittorio Rienzo

    Leave a Reply