Homem preso após arrastar menino de 12 anos pela praia é transferido para ala psiquiátrica de hospital

    0
    19
    homem-preso-apos-arrastar-menino-de-12-anos-pela-praia-e-transferido-para-ala-psiquiatrica-de-hospital


    Técnico em enfermagem de 35 anos foi preso em flagrante após arrastar uma criança pela faixa de areia de Praia Grande, SP. A família alega que ele teve um surto psicótico e achou que menino era o próprio filho. Homem de 35 anos foi preso em flagrante após arrastar uma criança de 12 anos pela orla de Praia Grande, SP
    Reprodução
    O homem que foi preso em flagrante após ser visto arrastando uma criança de 12 anos pela faixa de areia de Praia Grande, no litoral de São Paulo, foi transferido para a ala psiquiátrica de um hospital, conforme determinado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), e recebe tratamento. A irmã dele contou ao g1, nesta quarta-feira (22), que ele já apresentou melhora no quadro clínico, mas, por ainda estar sob escolta policial, não pode ter contato com familiares.
    Compartilhe no WhatsApp
    Compartilhe no Telegram
    Depois que o técnico em enfermagem foi preso, no último dia 10, a irmã Karolina Cunha, de 23 anos, disse à reportagem que ele teria tido um “surto psicótico” e confundido a vítima com o próprio filho. A jovem ressaltou que o homem foi diagnosticado com esquizofrenia.
    “Ele ainda está com discurso desconexo, mas, com o tratamento, está começando a falar sobre quem ele é. [Falou] que trabalha como técnico em enfermagem e alguns nomes de familiares”, contou a irmã nesta quarta-feira.
    Karolina contou que a família entrou com um pedido de autorização para visitá-lo no hospital, mas a reivindicação feita pelo advogado da família, segundo ela, ainda não foi aceita pela Justiça. A jovem informou saber do irmão pela equipe médica: “A gente está tendo contato direto com o médico dele.”
    O caso
    O homem de 35 anos foi preso em flagrante no último dia 10 de fevereiro, no bairro Maracanã, em Praia Grande. De acordo com a Polícia Militar (PM), a equipe foi acionada para conter um homem que teria puxado uma criança pela orla e, chegando ao local, os agentes encontraram o homem no chão e imobilizado por populares.
    A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) informou que o caso foi registrado como flagrante por sequestro e cárcere privado, e que o suspeito foi preso.
    Homem preso por sequestro após arrastar criança de 12 anos em Praia Grande entrou em surto psicótico um dia antes no apartamento
    Arquivo pessoal
    Pedido de transferência
    A 2ª Vara Criminal de Praia Grande determinou, no último dia 15, que o réu fosse encaminhado para outra unidade.
    “Sendo fortes os indícios de que o acusado seja portador de doença mental, determino a sua internação provisória […] para que providencie a transferência do custodiado para estabelecimento ou ala adequados à patologia”, decidiu o juiz Antonio Carlos Costa Pessoa Martins.
    Questionada sobre a transferência, a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) afirmou, em nota, que recebeu a determinação judicial no dia 16 de fevereiro e que o cumprimento da transferência está sendo providenciado. “No momento, o preso em questão está internado na ala psiquiátrica de hospital na Baixada Santista”, acrescentou.
    Defesa
    Em nota, o advogado Charles Cabral, que defende o suspeito, disse que ele exerce a atividade de técnico em enfermagem e já foi diagnosticado como portador de esquizofrenia, sensível a surtos psiquiátricos.
    Segundo o advogado, desde o ano passado, ele vem sendo internado compulsoriamente em estabelecimentos hospitalares adequados que acompanham a evolução do seu tratamento.
    Atualmente, ele vem sendo medicado e acompanhado pelo setor de psiquiatria do Hospital do Servidor Público Estadual, afirma a defesa.
    Cabral disse ainda que, no dia dos fatos, o homem estava acometido por um surto psiquiátrico, provavelmente ocasionado pela falta da medicação que necessita tomar diariamente.
    O advogado citou ainda que o homem conseguiu ir para a rua sem um acompanhante da família e, por conta do estado de surto, provavelmente confundiu a criança com seu filho, já que tem um menino da mesma idade.
    Ainda segundo o advogado, todas as acusações que lhe foram imputadas são totalmente descabidas e serão demonstradas no decorrer do processo. Cabral informou que protocolou o pedido de liberdade provisória.
    VÍDEOS: as notícias mais vistas do g1

    pappa2200

    Leave a Reply