118

Vestibular indígena: 3,4 mil fazem prova unificada da Unicamp e UFSCar neste domingo

vestibular-indigena:-3,4-mil-fazem-prova-unificada-da-unicamp-e-ufscar-neste-domingo



Exame acontece em seis cidades de quatro estados. Provas começam às 13h, duram cinco horas, e orientação é para chegada com antecedência. Veja o que está liberado e o que está proibido. Estudantes durante prova do vestibular indígena da Unicamp, em 2019
Antoninho Perri/SEC Unicamp
O vestibular indígena 2023 unificado entre Unicamp e Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) terá provas para 3,4 mil candidatos na tarde deste domingo (22) em seis cidades de quatro estados. As avaliações começam às 13h, considerando-se horário de cada município, e duram cinco horas.
Nesta edição, cada universidade oferece 130 vagas em cursos de graduação. A orientação das universidades é para que os candidatos cheguem com antecedência, uma vez que os portões dos locais com aplicação do exame abrem às 12h. Veja abaixo o que levar e a lista de itens proibidos.
As provas ocorrem em Campinas (SP), Dourados (MS), Manaus (AM), Recife (PE), São Gabriel da Cachoeira (AM) e Tabatinga (AM). A exigência de máscara contra Covid-19 ocorre somente na cidade paulista, diz a comissão organizadora dos vestibulares da Unicamp (Comvest), em virtude de norma interna da universidade, local da avaliação. Para os demais municípios há somente recomendação.
O total de inscritos no exame foi recorde e significa alta de 24% no comparativo com a edição anterior do vestibular. O estado do Amazonas é o que concentra a maior parte dos inscritos, com 79,7%, enquanto o município que reúne mais candidatos é Tabatinga (AM), com 1.167 estudantes.
Os candidatos devem comprovar que pertencem a uma das etnias indígenas do território brasileiro, por meio da documentação indicada no edital. A entrega é na prova. “Entre as etnias declaradas pelos candidatos, a maioria é Ticuna (28%), seguido das etnias Baré (17%) e Tukano (7%)”, diz a Comvest.
Como são as provas?
O exame será em língua portuguesa com 50 questões de múltipla escolha e uma redação – que deve ser produzida a partir de uma das duas propostas apresentadas pela banca. As perguntas reúnem: linguagens e códigos (14); ciências da natureza (12); matemática (12); ciências humanas (12).
A expectativa da organização é de que o índice de abstenção seja parecido com o de provas anteriores, em torno de 50%. O gabarito oficial deve ser divulgado na quarta-feira (25).
O que levar para a prova?
álcool em gel e máscaras extras, em caso de necessidade de troca no decorrer da prova
documento de identidade original indicado na inscrição;
caneta de cor preta em material transparente, lápis preto e borracha;
régua transparente e compasso;
água, sucos, doces;
uso de bermudas e vestimentas leves
O que NÃO pode levar?
aparelho celular (deve ser desligado imediatamente após a entrada do candidato na sala e colocado em embalagem; pode ser retirado após o candidato deixar o prédio);
equipamentos eletrônicos, relógios digitais, corretivo líquido, lapiseira, caneta marca texto, bandana/lenço, boné, chapéu, ou outros materiais estranhos à prova;
o candidato pode usar relógio para controlar o tempo, mas ele deve ficar no chão.
Calendário
1ª chamada de convocados para matrícula – 13/02 – site da Comvest;
Matrícula virtual – das 9h de 14/02 até 17h de 15/02 – pelo mesmo portal;
Ao todo estão previstas até cinco chamadas de candidatos.
VÍDEOS: tudo sobre Campinas e região
Veja mais notícias da região no g1 Campinas.

Vito Califano

0 comments on “Vestibular indígena: 3,4 mil fazem prova unificada da Unicamp e UFSCar neste domingo

Leave a Reply

%d blogger hanno fatto clic su Mi Piace per questo: